Sétimo dia

O que você tem? Perguntam nos dias maus

Tenho vontade de morrer, todos os dias.

Em alguns deles esqueço, hoje lembrei.

sinto o sal nos lábios, e o calor começa a queimar meu rosto.

a água dança na altura dos meus calcanhares, fria como o gelo.

todos os pedaços do barco e das pessoas que o mar não engoliu estão no alcance dos meus olhos.

Minha nuca ainda lembra do mar revolto tentando me puxar para o fundo.

esse frio que percorre a espinha até arder os ouvidos me faz pensar que a alma ouve o canto da morte e faz o corpo gritar.

vou durar para sempre nesse momento.

O que se faz depois do fim? Esse já é o segundo, e só consigo olhar para ele e admirar a forma como me nega. Igual um pai que vende o filho defeituoso para servir aos padres.

Tinham 8 pessoas no barco. Estavam me levando para ser enforcada em praça pública, na ilha maior.

Depois desse acidente, se eu fizer o certo, vão me dar como morta e estou livre

Mas como um filho que faz de tudo para ter a atenção que não teve na infância, junto o resto dos cadáveres na praia, e entalho em um pedaço da madeira do barco: Deus ama a mim, mais do que a vocês.

Achei que estava bom, me sento encostada em uma pedra e descanso, pois é o sétimo dia.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s